domingo, 8 de novembro de 2009

Domingo


Está um magnífico dia de Outono. Outonal, simplesmente, que é como se querem os dias de Novembro. Chegou o frio, o céu está carregado de nuvens grossas que o vento forte empurra para que o sol brilhe sobre o rio. As águas hoje estão escuras, agitadas, a lembrar o mar alto. Lá em baixo, o pequeno espaço de pinhal já foi atravessado pelo rebanho de ovelhas. Mais de cem, seguiram em direcção ao rio guardadas por um pastor coxo e dois rafeiros. Passam lentamente e sigo-os até que deixo de escutar os balidos. Sento-me perto da janela, inspiro mais profundamente e digo-me que preciso de me concentrar, tenho trabalho para fazer. Em silêncio.
Concedo-me uma última fuga- música. A que aqui deixo. Banda sonora perfeita para um magnífico domingo de outono.
Enquanto a escuto penso que talvez as gaivotas a saibam de cor e a entoem. É o que me parece, quando lhes aprecio os voos rasantes cá em cima, à minha vidraça.



É bom que ponha mãos à obra. Terça-feira falo aqui e gosto de fazer bonito...

10 comentários:

edu disse...

Ando com as mãos gretadas de tanto fazer e desfazer paredes neste empreendimento que é a minha dissertação de mestrado e eis que embirro na interpretação bayesiana de funções de favorabilidade à ocorrência de movimentos de vertente. Na mesma altura dá-se o bambúrrio de "embirrar" no blogue de uma expert que parece dominar o assunto como ninguém. Fica a pergunta, haverá uma ou outra posta no blogue reservada para umas explicações? :P

Just kidding. É só mesmo para te desejar a melhor sorte do Mundo, porque o resto, são as probabilidades de sucesso - a priori e a posteriori - (re)conhecidas no modo como escreves e transmites os teus pensamentos.

Mutante disse...

Edu,
Soa-me bem, não que tenhas as mãos gretadas (embora nada tenhamos contra a face visível do trabalho nas mãos, verdade?), mas que Bayes faça das suas em todas as áreas. Que delícia!
Na verdade somos, mesmo sem saber, bayesianos. Afinal, que fazemos sucessivamente senão aprender com as experiências? Cumprimos a sequência conhecimento a priori -> experiência informativa -> conhecimento a posteriori -> preditiva.
E se o fizermos de forma consciente só temos a ganhar. Como se diz no meu meio, Bayesians do it better!
E eu... vou falar sobre
EMB: a combination of EM-algorithm and Bayesian Hierarchical classification model for gene
identification.

Obrigada pelos votos, que retribuo: Toda a sorte do Mundo!

(Se precisares de ajuda, sussurra. Estou por aqui.)

Alexandra Brandão disse...

:)) E cá estou eu também a convergir para o teu blogue. Again and again. Como te disse, fui. E voltei. Pedalei para lá, pedalei para cá. Arrumei tudo e cá estou a ler, a pensar, a escrever como tem sido bom aprender contigo.
Mais um sucesso, maninha. Força nisso e muitas, muitas felicidades.

edu disse...

Seria indelicado da minha parte aproveitar-me do teu blogue para pedir outros esclarecimentos que não os da tua humanidade. Mais, seria uma vil desonestidade intelectual, porque aquilo que me tem prendido a esta courela de terra são precisamente as tuas reflexões vertidas numa poesia feita prosa doce e branda, como não há.

À minha jornada académica talvez me valham os materiais que tens publicados e que me vão dar um jeitão, depois de consultá-los.

Se é certo que tens o teu espaço na desmoita do Terra Ruim, vai ser com especial prazer que te vou ver na bibliografia da minha dissertação.

Mutante disse...

Este moço deixou-me sem palavras.

Mutante disse...

Chegam agora: que poderei ter eu publicado que te possa ser útil?

Alexandra Brandão disse...

A primeira tenho-a eu, com dedicatória e autógrafo... :P

Boa noite, bons sonhos, venho tarde e a más horas, não me digas nada... Beijo

Mutante disse...

Não digo. Acompanho-te simplesmente.
Beijo

Alexandra Brandão disse...

(outro) bom dia, beijinho

edu disse...

Da pesquisa que fiz, encontrei algumas coisas que me poderão ajudar bastante. Basicamente, o espectro de enquadramento teórico será, por si só, todo útil. E, em termos práticos, reparei que tens algumas coisas feitas relativamente a modelos preditivos e fenómenos naturais (o que encaixa perfeitamente no âmbito da modelação do risco de movimentos de massa em vertentes que pretendo desenvolver com recurso a sistemas de informação geográfica).

Mas, lá está, não quero mesmo abusar da tua vontade e da tua privacidade, coisa que, tendo em conta a tua vida profissional e pessoal, deves prezar como um intocável cálix sagrado. Sendo eu um labrego aprendiz de feiticeiro, a quem calhou em fortuna estar defronte de alguém tão superior em ciência e conhecimento, é uma virtude que bem compreendo e admiro. Para mim, já é uma enorme satisfação ter criado laços blogosféricos com a tua escrita e qualidades humanas que aqui forjas. :)