domingo, 27 de dezembro de 2009

2009


Têm passado lentamente estes últimos dias do ano. O ar frio e húmido faz com que apeteçam ainda mais a casa aquecida, a luz suave das velas e o sossego.
Sabe-me bem que o ano esteja a terminar. Sinto que está na altura de fazer um balanço, renovar energias e perspectivar. Tenho vindo a rever 2009 e estou contente, foi o melhor dos últimos anos. Não porque tenha sido fácil nem porque não tenham existido contrariedades, tristezas ou reveses. Bom porque todos foram enfrentados, porque cada dificuldade se tornou numa oportunidade. Bom porque os momentos que passei só, e que foram muitos, evoluíram da solidão triste para momentos em que estive na melhor das companhias - a minha. Bom porque passei a gostar de uma forma diferente dos que me são próximos, de uma forma que é, descobri, gostar mais. Porque espero deles muito menos, porque neles projecto muito menos as minhas faltas e as minhas necessidades. Gosto deles porque gosto, pelo que são e não pelo que fazem por mim. Bom pelo sorriso que se instalou e que agora nasce do peito e me deixa com a certeza que toda a tempestade é seguida de bonança. Bom porque me rio do meu mau humor, porque cada vez que praguejo (e sei fazê-lo tão bem) acabo escangalhada de riso ao ouvir tanto disparate. Bom porque aprendi a relativizar. Um bocadinho mais. Bom porque querer e fazer andaram de mãos dadas comigo.
Bom, sobretudo, porque a minha família esteve presente e unida. Incondicionalmente.

3 comentários:

Alexandra Brandão disse...

Verdade, verdadinha. E assim se encerraram os primeiros dez anos deste primeiro milénio. Terminaste-o em grande, para ti e para nós também. Grande Estrelinha, sinto-me orgulhosa de ti!

Alexandra Brandão disse...

Verdade, verdadinha. E assim se encerraram os primeiros dez anos deste primeiro milénio. Terminaste-o em grande, para ti e para nós também. Grande Estrelinha, sinto-me orgulhosa de ti!

Mutante disse...

Este ano, todos os que se seguirem, serão o que fizermos- o que fizermos acontecer e o que fizermos com o que nos acontecer.