quinta-feira, 4 de junho de 2009

Grátis, mesmo grátis.


Acordei assim por dentro. Sem pressa, dei comigo a sorrir à coelha, ao vaso da salsa, às nuvens cinzentas sobre o rio, e a pensar como gosto das manhãs frescas. À minha volta tudo parece igual a ontem, nem um motivo mais, nem um menos, para este entusiasmo. 

Já passa das três da tarde e o ribombar continua. E se for uma crise cardíaca e não alegria de viver, assim, só porque sim?

Porquê a dificuldade em acreditar nas coisas simples?

2 comentários:

Alexandra Brandão disse...

Eu não acordei assim, mas verifiquei, pouco depois, que a tpm tinha chegado ao fim.

Mutante disse...

La ruota gira!